Reconstruindo Caminhos

Reconstruindo Caminhos
Escrevo porque chove saudades no terreno das minhas lembranças e na escrita eu deságuo as minhas urgências, curo velhas feridas e engano o relógio das horas trazendo o passado para brincar de aqui e agora... Costumo dizer que no calçadão da minha memória há sempre uma saudade de prontidão à espreita de que a linguagem da emoção faça barulho dentro de mim e que, nessa hora, o sal das minhas lágrimas aumente o brilho do meu olhar e uma inquietação ponha em desalinho o baú de onde emergem as minhas lembranças, para que eu possa, finalmente, render-me à folha de papel em branco...

segunda-feira, 16 de março de 2009

Tempo de Janela



Espreito a vida através da janela.
Lá fora tudo é movimento. Aqui dentro, também!
Lá, o mundo explode em guerras, inundações, fome, abandono, abuso, inflação e desemprego.
Aqui, uma implosão decreta guerra à minha fome de amor e torna árida a terra prometida dos meus sonhos...


Uma saudade inunda a casa do meu coração e não encontrando inquilino, abusa do seu direito de ir e vir, provocando aumento constante em meus batimentos cardíacos.


De tanto esperar o meu coração deu férias coletivas ao amor, à paixão, à emoção e deixou que a razão desse aviso prévio à saudade.
Saio da janela e abro a porta. A vida real é lá fora. O presente me espera. Vou à luta!

12 comentários:

Helen Marie disse...

Adorei...ultimamente tenho apenas olhado pela janela...do lado de dentro da porta.
Abraços,
Helen

Nina disse...

Sair um pouco de vez em quando é bom né Ju?? Mas daquela sua casinha da infância, nem eu queria sair, porque ela era tão linda!!!

Vc quer vê-la de novo??
A Sua Casa Que Tem História já está lá no blog da menina! Espero de coracão que vc goste :)

foi um grande prazer fazer!

Nina disse...

Que bom, que bom que bom mesmo que vc gostou!!

Eu sempre tenho medo de nao agradar, de nao corresponder ao que o outro pensa com os desenhos...

amei as flores, tbm sao minhas preferidas, pela simplicidade e beleza :)

Vc é um amor Ju, obrigada pelas palavras lindas.

cArLa disse...

Juliêta, tem que ter coragem para sair, né?

Helen Marie disse...

Diz uma coisa...essa sua foto aí à esquerda por acaso não foi tirada em Gramado-RS, né?
Abraços,
Helen

Dani Almeida disse...

Ai, ai,
O pro é que às vezes a gente sai e não encontra nada, nadica msm.
Bjo, dona Ju!

@@@@

entremares disse...

Como diziam os Supertramp:

"Hide in your shell cos the world is out to bleed you for a ride
What will you gain making your life a little longer?
Heaven or Hell, was the journey cold that gave your eyes of steel?
Shelter behind painting your mind and playing joker"

E é verdade, a vida real é lá fora, não dentro da concha...

Sueli disse...

Saudade é marota e atrevida. Não marca hora, não bate na porta. Entra, senta e acomoda-se. O pior é que, mesmo a casa sendo sua, você se amarra em impotência. Não há o que fazer. O jeito é sair de casa, mesmo. Abração!

Sueli disse...

Ju, gostaria de ser uma seguidora do seu blog, pois gosteimuito daqui, mas não encontrei em seu template a opção apra tal. Você não a colocou por opção ou porque não pensou nisso? Abração!

Helen Marie disse...

Reconheci que era Gramado pelas hortênsias lindas.
Se vc ainda não participou da enquete lá no "Contos...", o prazo tá acabando...
Abraços,
Helen

C. S. Muhammad disse...

Juliêta, obrigada pelas dicas de blogs. Gostei muito (assim como gosto aqui do seu). Bj

Nina disse...

Ué Ju, cd tu??