Reconstruindo Caminhos

Reconstruindo Caminhos
Escrevo porque chove saudades no terreno das minhas lembranças e na escrita eu deságuo as minhas urgências, curo velhas feridas e engano o relógio das horas trazendo o passado para brincar de aqui e agora... Costumo dizer que no calçadão da minha memória há sempre uma saudade de prontidão à espreita de que a linguagem da emoção faça barulho dentro de mim e que, nessa hora, o sal das minhas lágrimas aumente o brilho do meu olhar e uma inquietação ponha em desalinho o baú de onde emergem as minhas lembranças, para que eu possa, finalmente, render-me à folha de papel em branco...

terça-feira, 21 de abril de 2009

Almas Margaridas





Certas pessoas já nascem etiquetadas e com prazos de validades vencidos. Carregam a inapetência pela vida e se deixam consumir pela pulsação dos dias iguais, como se viver fosse um fardo. Seus traçados são em linha reta e a sinuosidade das curvas que tantas surpresas nos causam, não faz parte do seu viver, por isso trazem, em seus semblantes, as marcas da tristeza, da amargura e do luto.

Conviver com elas é navegar em noites de tempestades, é deixar esvaecer a nossa alegria, para dar lugar ao encadeamento de suas desgraças.
São chamadas de almas penadas porque vivem em completo estado de expiação e temem que, a alegria e o contentamento possam usurpar a remissão dos seus pecados. Planejam a sua vida como um filme preto e branco, feito de desertos, sofrimentos e com um fim presumível.

Quem não conhece uma pessoa assim?

- Elas são vorazes, sugam as nossas energias, alimentam-se do nosso deslumbramento pela vida, e depois, desconcertam as nossas certezas numa tentativa de levá-las a escorrer pelo ralo. São sombras que se abrigam em centelhas, por não terem luz própria.

Ainda bem que, para contrapor a essas criaturas, temos as almas margaridas. Quão belas são!
Seus desenhos são feitos de curvas, que falam de possibilidades... Possibilidades infinitas de fazer, acontecer, dar certo a essa vida cheia de manhas, sôfrega em nos propor desafios para além das nossas combalidas forças.

Alguém conhece uma pessoa assim?

- Elas flamejam por que são feéricas e ao seu toque, tudo se faz vida, alegria e certezas. Iluminam e a sua luz reverbera em nós tornando-nos melhores. Desconhecem o egoísmo, a inveja e a maldade. São dádivas na vida de quem as possui como companhia. Por isso me faço peregrina nos campos e jardins à procura de almas margaridas.

Preciso despoluir-me...

*Este texto é uma homenagem a Nina Sena: cronicasdeumameninafeliz.blogspot.com
*E a menina Beatriz Menéres, pela imagem da margarida

10 comentários:

João Menéres disse...

J U L I E T A

A minha neta BEATRIZ vem almoçar cá hoje.
Nem imaginas como ela vai ficar feliz por ter um trabalhinho com o nome dela a circular pela blogosfera !!!

E eu só te tenho a agradecer a escolha, que também me deixa muito satisfeito.
Cliquei e ampliei. Ficou óptimo!

Um beijo grande para ti com o nosso obrigado.

C. S. Muhammad disse...

Juliêta,
Sempre aprecio seus textos tão sensíveis, honestos e sábios, mas esse tocou lá na minha alma. Talvez porque eu seja uma margarida que, ultimamente, tem se sentido murcha. Esse texto me lembrou pessoas e também "estados" de mim mesma. Este texto e esta gravura me acordarm hoje e me fizeram lembrar o quanto ser margarida é importante para nós mesmos e para os outros ao nosso redor.

Por isso, MUITO OBRIGADA por ele... este "Sem título" salvou meu dia.

C. S. Muhammad disse...

ops, desculpe... tem título, sim. Muito apropriado, por sinal... :)
bjs

Nina disse...

Ju querida!
Só vc pra fazer o meu dia comecar bem assim!! Tanta delicadeza.
Que texto bonito, e certeiro. Tantas pessoas estão na primeira categoria, infelizmente :( mas tem tbm tanta gente linda na segunda, né?? Eu conheco uma porcão, gracas a Deus!

Adorei isso, almas margaridas :) sabia que eu adoro margaridas??? Sou louca por elas, rsrsr. Obrigada por nos dedicar algo tao bonito. Só uma alma margarida pode falar de outras, né? E tao bonito assim.

Ju, vc é um ser humano, ou seria uma flor humana (?) maravilhosa :) Adorei te conhecer, viu menina da casa encantada?!!
Um grande abraco e flores pra ti.

Gaspar de Jesus disse...

Olá Juliêta
Parabéns por este ser texto; e obrigado pela gentil visita.
Bjs
G.J.

Sueli disse...

Juliêta, sabe que você tem toda razão? Conheci algumas pessoas assim, tanto as nascidas já com prazo vencido como as margaridas. Mas aprendi a manter distância das primeiras. Um abração!

O Profeta disse...

Ó chamateia que fala da saudade
Ó canção que pões um brilho nos olhos
Ó mulher que tens a forma da viola
Ó que espalhas paixões aos molhos

E o cantar da meia-noite
A todos encanta e seduz
Cantar até que morra a voz
Cantar até que haja luz


Vem tocar uma Viola de dois corações

Bom fim de semana



Mágico beijo

Elaine disse...

Olá!
Vi a citação de seu blog no blog da Nina e vim conhecer. Como seus textos são bonitos, tão reflexivos...
Parabéns!
Beijos e fique com Deus.

Paula disse...

Não só conheço como já convivi com várias pessoas assim. Por isso adorei o texto.
Um bom fim-de-semana pra vc!
Bjos,
Paulinha

Gaspar de Jesus disse...

Olá JULIETA
Fim fazer-lhe uma visitinha e agradecer as amáveis palavras que deiou no Arte Fotográfica.
Bjs
G.J.