Reconstruindo Caminhos

Reconstruindo Caminhos
Escrevo porque chove saudades no terreno das minhas lembranças e na escrita eu deságuo as minhas urgências, curo velhas feridas e engano o relógio das horas trazendo o passado para brincar de aqui e agora... Costumo dizer que no calçadão da minha memória há sempre uma saudade de prontidão à espreita de que a linguagem da emoção faça barulho dentro de mim e que, nessa hora, o sal das minhas lágrimas aumente o brilho do meu olhar e uma inquietação ponha em desalinho o baú de onde emergem as minhas lembranças, para que eu possa, finalmente, render-me à folha de papel em branco...

domingo, 1 de agosto de 2010

Aprendiz do Caminho






Enquanto caminho, aprendo!

Não carrego manual de instrução, tampouco possuo uma tecla liga/desliga/deleta. Vou vivendo e aprendendo com a vida. Ela, e só ela, me dá o norte que preciso à medida que corrijo os erros do meu caminhar.


Não construo certezas, apesar de viver em um mundo cheio de regras e de tantos semideuses. O meu dia-a-dia se alimenta do inesperado e a cada instante revejo as minhas convicções. Olho para o outro e antes de apontar-lhe o indicador, penso: o que eu faria se estivesse em seu lugar? E, aprendo! Aprendo mais sobre o amor - fonte de toda sabedoria – e escolho viver em paz com a minha consciência.


Por não possuir manual, erro, e erro feio algumas vezes, mas utilizo as frases mal costuradas do meu orgulho para pedir perdão. O efêmero, o passageiro e o transitório, essa trindade que adjetiva as minhas horas e ensina sobre a passagem do tempo, também me dá a percepção de que administrar essa tríade com inteligência, respeito e humildade, é viver com sabedoria. Sabedoria necessária para me desviar das linhas retas, das respostas prontas e das soluções mágicas, que a todo instante estão sendo apresentadas pelos semideuses de plantão.


Tenho procurado conhecer mais sobre atalhos – caminhos diferentes - e confesso que isso, me faz sentir melhor. Eles me fornecem o aprendizado necessário, pois interrompem os meus passos, nas linhas retas, me obrigam a olhar em volta e me humanizam. Os meus pés, agora, são andarilhos de um caminhar sem pressa porque desenvolvi, no percurso, uma compreensão maior sobre quem sou e o que estou fazendo com aquilo que me tornei...


E, por que já não há tantas horas assim para serem desperdiçadas, entendo que: só se aprende, vivendo! De nada adianta as regras e os manuais de instruções, pois o que vale mesmo são as ranhuras que ela, a vida, nos faz, obrigando-nos a sermos mais brandos, mais compreensíveis e humanos no julgamento dos nossos semelhantes e nas nossas atitudes no meio em que vivemos.


Por isso, hoje, enquanto caminho, aprendo! Pois, um olhar diferenciado sobre a arte de viver me ensina a não gastar os meus dias e as minhas horas à toa! Sou um aprendiz do caminho dos meus próprios erros.

8 comentários:

Solange disse...

que texto maduro... e belo, como são todos os teus escritos !

caminhar pela vida é para todo mundo, mas alguns tem esses olhos, essa fome, essa humildade... e para estes o caminhar é construído por momentos especiais, é uma dádiva, um norte...

quero aprender também, a cada passo...


e, na minha estrada, hoje, às 17:44h, aprendi mais um pouco...

você é um lindo caminho Juliêta...

beijo grande

manu disse...

Oi Julieta
Que caminho bonito o seu..Deduzo que nem sempre fácil, por trilhos sinuosos desconhecendo o que vai aparecer na próxima curva, mas nem por isso menos desafiante. A monotonia nunca se instala e cada dificuldade que conseguimos transpor, é como se fosse uma força que nos impele a ir mais longe, a voar mais alto e a planar por cima do que é efémero e banal.
São sábias as suas palavras que a conduzem ao caminho da sabedoria e do equilíbrio.


Ps.Espero que os problemas de saúde estejam definitivamente debelados.

Beijo enorme
Manu

O que elas estao lendo!? disse...

Ei Ju!

Porque você é nossa seguidora viemos aqui avisar sobre a campanha "Ler é Fashion".

Entre nesta moda e participe do super sorteio!

Beijos

Fla e Ge
Equipe "O que elas estão lendo!?"

Sueli disse...

Palavras de um ser evoluído que já aprendeu a entender as lições da vida. Mas, isso não é novidade, minha amiga, por tudo que já li de seus escritos, não tenho dúvida alguma da sua evolução. Fico muito feliz que tenha voltado (e com um texto que é um arraso!). Um grande abraço!

Paulo disse...

Olá Julieta ^^

Adorei seu texto, está cheio de significados que a vida ensina a todos enquanto percorremos o Caminho que nos é destinado. Ao ler, senti a humildade de ser um aprendiz. Profundo!

E levo daqui mais conhecimento para meu Caminho.

beijinho *_*

lis disse...

Que lindo texto Juliêta .
Sempre questionamos se o caminho que seguimos foi o melhor, é verdade que somos aprendizes desse caminhar que é a nossa vida.
E nos preocupamos com nossos filhos será que estão no caminho certo?
e como voce diz caminhamos sem manual, cada um seguindo seu coração,
penso ser o melhor norte - o coração!
tem um versículo bíblico que quase todos conhecem : 'Eu sou o caminho , a Verdade e a Vida ...".
penso que se andarmos no caminho da Verdade teremos uma vida digna, mesmo que com percalços .
E com o melhor dos mestres vamos errar menos.
Um grande abraço com todo carinho e que nossos caminhar sea leve.
beijinhoss e obrigada pelo afeto de sempre

sabe quem apareceu : o Rolando,ainda nao está confirmado , mas recebi um convite pro facebook dele , basta agora conferir se não é perfil falso rsrs
saudades daquele nosso poeta! (malvado )rsrs

Peixesempeixes disse...

Esse estar atento aos passos palavras, essa busca de ser melhor... vale apena.

Parabéns pelo blog.

Arnalda Rabelo disse...

Juliêta querida...

Vim retribuir sua carinhosa visita
e não imaginava a surpresa ao aqui chegar.
Seu texto é rico e sábio!
Enquanto lia, suas palavras ministravam em meu coração e espírito.

Muito obrigada querida!

Beijos

Arnalda Rabelo