Reconstruindo Caminhos

Reconstruindo Caminhos
Escrevo porque chove saudades no terreno das minhas lembranças e na escrita eu deságuo as minhas urgências, curo velhas feridas e engano o relógio das horas trazendo o passado para brincar de aqui e agora... Costumo dizer que no calçadão da minha memória há sempre uma saudade de prontidão à espreita de que a linguagem da emoção faça barulho dentro de mim e que, nessa hora, o sal das minhas lágrimas aumente o brilho do meu olhar e uma inquietação ponha em desalinho o baú de onde emergem as minhas lembranças, para que eu possa, finalmente, render-me à folha de papel em branco...

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Grávida de Esperança




Um encontro casual, embora improvável, é o que desejam os meus olhos quando percorrem lugares, ruas, esquinas e, ávidos procuram por ti.
Quase meio século de sonhos e esperança a se derramarem pelos desertos da tua ausência... Tantas horas já se passaram desde a última vez que nos vimos e esse amor teimoso, enxerga a eternidade como um bebê e continua esperando, esperando...
Os sonhos da alma ainda transbordam no horizonte perdido dos meus desejos mais secretos. Os da pele? Ah! Esses perderam-se nas dobras do tempo, mas continuam vívidos e cheios de quereres.
Procuro por ti todas as noites, meu amor, e te encontro! Na minha fantasia dançamos, nus e sem máscaras, a mais bela canção de amor: a entrega. Então, grávida de esperança eu fecho os olhos da alma e o meu corpo fala... Tateando, exigente.

7 comentários:

✿ chica disse...

Um amor lindo que espera o reencontro sempre, há tantos anos...

Muito lindo!
beijos,chica

myra disse...

sim, deixa reu corpo falar...
obrigada pelo teu comentatio. abraço

Paulo Tamburro. disse...

JULIÊTA,

sou seu mais novo seguidor e chego até aqui pelo blog mágico da Solange Maia: Eucaliptos na Janela.

E só só lhe peço, por favor, jamais faça este aborto!

Um abração carioca.

Manu disse...

Que nesse encontro casual ao qual eu não diria improvável, renasçam todas as emoções, se avive todo o amor, se abrace com paixão e que a sua entrega seja total.

Beijo enorme amiga

George Sand disse...

Bonito.
E sobretudo aqui...lembra-me que qusae já não se vêm mulheres grávidas...

Libel disse...

Ah! O amor! Nele, tanto se fala...
O amor de fantasia que é feliz para sempre.
O amor de sonho que alimenta a esperança.
O amor de conquista que tempera a virtude com malícia.
O amor de carinho que acolhe, afaga e aconchega.
O amor de desejo que arde no corpo e chamusca a alma.
O amor de regozijo que insufla o gozo e a alegria.

Não deixes que esse amor te deixe estrias, não deixes que passe do tempo, uma gravidez assim tem que dar frutos, quem mo disse foi a Esperança.

Beijos Julieta
Adoro teus textos, tua escrita é um portal para o Amor.

lis disse...

Que delícia de gravidez .
Parabéns Julieta que nasça encontros reais nas nossas vidas.
Acredito em sonhos.
abraço Ju