Reconstruindo Caminhos

Reconstruindo Caminhos
Escrevo porque chove saudades no terreno das minhas lembranças e na escrita eu deságuo as minhas urgências, curo velhas feridas e engano o relógio das horas trazendo o passado para brincar de aqui e agora... Costumo dizer que no calçadão da minha memória há sempre uma saudade de prontidão à espreita de que a linguagem da emoção faça barulho dentro de mim e que, nessa hora, o sal das minhas lágrimas aumente o brilho do meu olhar e uma inquietação ponha em desalinho o baú de onde emergem as minhas lembranças, para que eu possa, finalmente, render-me à folha de papel em branco...

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Sobre Viagens e Saudades




Ando com saudades de mim. Quero me visitar, mas sem malas nem máquina fotográfica. Sem lembranças... Desejo partir, enquanto o dia ainda descansa nos braços da noite. Quero viajar! Perder-me no emaranhado das ruas de um país desconhecido e sentir-me anônima: suprema delícia de ser eu mesma. Encontrar-me!

Viajar para encontrar-me! Hoje, é tudo o que eu mais almejo. Passear pelas ruas dos meus sonhos livremente e olhar sem pudores e sem distanciamento para os meus desejos, assumindo-os.

Quero viajar para esquecer a geografia dos meus passos na pátria de intimidades da qual eu exilei o amor e, só assim, refugiar-me outra vez em seus braços. Cansei de vivê-lo, apenas por meio da escrita e da minha pontuação hesitante.

Por isso quero partir, enquanto ainda sinto saudades de mim... Saudades da minha fome de infinito e de acordar palavras que me façam caber em seus braços, pois, atualmente, tudo o que faço é pontuar as minhas letras com reticências, nas páginas de um amor não assumido.


2 comentários:

✿ chica disse...

Lindo e temos que fazer essas viagens pra não nos perder de nós!!beijos,tudo de bom,chica

Lorena Melo disse...

Às vezes sinto essa mesma vontade!