Reconstruindo Caminhos

Reconstruindo Caminhos
Escrevo porque chove saudades no terreno das minhas lembranças e na escrita eu deságuo as minhas urgências, curo velhas feridas e engano o relógio das horas trazendo o passado para brincar de aqui e agora... Costumo dizer que no calçadão da minha memória há sempre uma saudade de prontidão à espreita de que a linguagem da emoção faça barulho dentro de mim e que, nessa hora, o sal das minhas lágrimas aumente o brilho do meu olhar e uma inquietação ponha em desalinho o baú de onde emergem as minhas lembranças, para que eu possa, finalmente, render-me à folha de papel em branco...

domingo, 15 de setembro de 2013

O Par Perfeito


Amar é não caber em si... É dar espaço para o outro e, juntos, habitarem o mesmo lugar.



A solidão não escolhida vai causar espanto, tristeza e dor quando nos dermos conta de que o amor não é um jogo, uma brincadeira ou um faz de conta para nos distrair das mazelas do cotidiano. Ele é uma fatura que se paga diariamente e pouco importa se o produto está desgastado, impróprio para o uso ou fora da validade. O amor deve ser cego e surdo aos apelos mundanos, que são muitos, mas que passam, assim como as nuvens em dias de céu azul.

Ela andava a procura do par perfeito, ele idealizava a mulher ideal: linda, boa aparência, saudável, bem-sucedida, independente e disposta a fazer concessões. Ela, idem! Mas, após vários encontros e desencontros, ambos estão sozinhos. Por que será que isso aconteceu?

A meu ver estamos todos reféns do medo de ser felizes, porque amar dá trabalho, requer envolvimento, renúncia e, sobretudo, distanciamento do mundo de fantasias que criamos, quando decidimos procurar o homem ou a mulher ideal.

Não existe o par perfeito! Não existe entrega de amor sob encomenda em domicílio. Temos que fazer por merecê-lo...

Quando idealizamos a pessoa baseado apenas na aparência e de acordo com o grau de nossa exigência – sempre carregada de expectativas - esquecemos que o tempo corre célere e que as pessoas mudam com o tempo. O belo fica feio, o corpo sarado vira um bagulho, os cabelos ficam ralos, o andar vacilante e nada mais restará, no futuro, daquela beleza estonteante que um dia nos conquistou. Com o passar do tempo, tudo o que nós mais queremos é alguém que nos ouça e que enxergue em nós algo mais que um corpo e um rosto bonitos. E, esse algo mais é o que nós temos de melhor para oferecer. É o amor genuíno, sem interesses mesquinhos e sem narcisismos, pois ao longo dos anos já nos fartamos de nós mesmos e de viver em farras e festas, que em nada nos acrescentam. Também, não precisamos mais de um milhão de amigos na nossa agenda, que, na maioria das vezes, não estão disponíveis para nos consolar, quando deles precisamos...

Nesse meio-tempo, agiganta-se em nós o desejo de fazer a vida diferente e, ao voltarmos os olhos para o passado, veremos o quanto de nós ficou perdido lá atrás, por conta de escolhas impensadas e insensatas. Nessa hora, podemos ver que ao escolhermos o par ideal estávamos, na realidade, procurando por uma cópia de nós mesmos e que o certo, naquela época, seria esvaziar-se de si, para poder receber o outro com amor, tolerância, compreensão e, sempre, de mãos dadas, porque a solidão um dia chega e chega para todo mundo, principalmente, para aqueles que basearam as suas escolhas, apenas em padrões de beleza ou coisas de somenos importância.

Portanto, se você procura alguém para se relacionar, lembre-se primeiro de olhar-se no espelho e descubra o que não está lhe agradando - às vezes, precisamos mudar a alma - pois buscar o outro como muleta não é a solução, tampouco exigir aquilo que ele não pode dar. O par perfeito só existe em contos de fada e as pessoas precisam ser amadas por inteiro, com seus erros e acertos, defeitos e imperfeições, delicadeza e ternura, porque tudo isso faz parte de sua singularidade. Ama-se o outro pelos seus grandes feitos e também pelos seus desacertos, que é parte integrante de sua humanidade.

Por isso, ao olhar para o outro procure enxergar a sua alma e lembre-se, principalmente, de que gente não é carne de açougue nem manequim de loja para ser exibido pelo mundo afora... O par perfeito só existe quando o verdadeiro amor está presente e dá espaço para que o outro apareça.

Nenhum comentário: