Reconstruindo Caminhos

Reconstruindo Caminhos
Escrevo porque chove saudades no terreno das minhas lembranças e na escrita eu deságuo as minhas urgências, curo velhas feridas e engano o relógio das horas trazendo o passado para brincar de aqui e agora... Costumo dizer que no calçadão da minha memória há sempre uma saudade de prontidão à espreita de que a linguagem da emoção faça barulho dentro de mim e que, nessa hora, o sal das minhas lágrimas aumente o brilho do meu olhar e uma inquietação ponha em desalinho o baú de onde emergem as minhas lembranças, para que eu possa, finalmente, render-me à folha de papel em branco...

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

O Cotidiano e as suas Certezas



Gosto do cheirinho do café, do aroma que sai do forno quando os pães quentes e crocantes avisam que já estão prontos, e quando a cestinha cheia de biscoitos anuncia que o fim de tarde se aproxima. É o cotidiano e as suas certezas se fazendo presente nas coisas simples e prosaicas do dia-a-dia.

Assim é também o meu amor por você. Tem gosto de café com leite e pão com manteiga. Nada mais trivial!

Acredito que, em regra, isto é o que incomoda muita gente: saber-se amado e ponto. Nada mais! Nenhuma montanha russa a deslizar emoções violentas, nem picos de adrenalina circulando pelo seu mundo de fantasias. Somente a rotina, a doce rotina recolhendo as asas da sua liberdade em prol de uma canção de amor.

E recolher não é cortar! É juntar, reunir, receber e abrigar. É amor somado, vida e paixões compartilhadas, embora que, para muitas pessoas, as asas de sua liberdade sejam um preço muito alto a pagar pela conquista de um só amor.

Prolongar a vida em dias de flores e cantos de sabiás é a aspiração maior de todo ser humano, mas viver o cotidiano em seus dias iguais, talvez seja o grande desafio de quem sabe que: o “seja eterno enquanto dure” só faz sentido, para quem aprendeu a sobrepujar os seus desejos e a viver o amor em sua real plenitude.

O cotidiano e as suas certezas, eis o preço da felicidade!

2 comentários:

Ronaldo Monte disse...

O bem do amor reside nas pequenas coisas e nas horas pequenas do cotidiano. Amar é estar atento ao minúsculo. Um beijo. Ronaldo.

Dani Almeida disse...

Amei esse texto.
Certamente a magnitude da experiência da vida reside nas pequeninas coisas, que só aqueles com sua sensibilidade tem a capacidade de perceber.
Mta luz no coração
Dani

@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@