Reconstruindo Caminhos

Reconstruindo Caminhos
Escrevo porque chove saudades no terreno das minhas lembranças e na escrita eu deságuo as minhas urgências, curo velhas feridas e engano o relógio das horas trazendo o passado para brincar de aqui e agora... Costumo dizer que no calçadão da minha memória há sempre uma saudade de prontidão à espreita de que a linguagem da emoção faça barulho dentro de mim e que, nessa hora, o sal das minhas lágrimas aumente o brilho do meu olhar e uma inquietação ponha em desalinho o baú de onde emergem as minhas lembranças, para que eu possa, finalmente, render-me à folha de papel em branco...

terça-feira, 6 de março de 2012

Memórias do Olhar




Houve um tempo em que você sabia o significado da palavra amor. Bastava olhar nos meus olhos. Hoje, vira as sílabas pelo avesso, estuda a semântica, analisa dados, mas continua sem entendê-lo. Perdeu o hábito de ser feliz!

Faz parte do processo evolutivo do ser humano estudar a linguagem das palavras e buscar a sua significação. Mas, o essencial, aquilo que tem importância, não está na escrita e sim, no silêncio – aquele que fala através do olhar - embora poucos o compreendam ou lhe deem atenção.
Não importa o que eu diga ou escreva. Não se prenda a dados! Não me leve tão a sério! Estou apenas exercitando a minha liberdade de criar, de brincar com as palavras. Esteja atento, sim, ao que dizem os meus olhos, pois eles traduzem aquela nudez que eu não desejo expor, mas que escapa derramando a memória dos desejos que deixei guardados nas gavetas da minha alma.

Por isso, não desvie os seus olhos dos meus... Essa é a única maneira de você entender o significado da palavra amor. Quanto às palavras, esqueça-as! Elas não guardam saudades, tampouco desejos.

3 comentários:

Solange Maia disse...

Juliêta...

Hoje suas palavras serviram-me com um velho blusão esquecido no fundo da gaveta durante todo o verão... elas já tinham o meu cheiro, tinham sido moldadas ao meu corpo, de tão usadas...

Não sei mais se quero ao meu lado pessoas que perderam o hábito de ser feliz...

Acho que fico com quem sabe manter o olhar... ou então com o meu silêncio, com o meu olhar...

Parabéns !
Belíssimo texto.
De uma sensibilidade descomunal...
Texto corajoso...

só podia ser seu...

beijo imenso

✿ chica disse...

LINDO!!!Olhares podem falar, mesmo em silêncio, muito mais do que palavras...E nem precisam tradução!! beijos,chica

lis disse...

oi Juliêta
Cada leitura mais admiração pelo que tu és, uma linda escritora.
E poe´tica , cheia de charme rs
que lindo as "memórias do olhar"
é assim que se diz, palavras valem até que o olhar se volte pra nós e confirma!
beijinhos e obrigada pela amizade