Reconstruindo Caminhos

Reconstruindo Caminhos
Escrevo porque chove saudades no terreno das minhas lembranças e na escrita eu deságuo as minhas urgências, curo velhas feridas e engano o relógio das horas trazendo o passado para brincar de aqui e agora... Costumo dizer que no calçadão da minha memória há sempre uma saudade de prontidão à espreita de que a linguagem da emoção faça barulho dentro de mim e que, nessa hora, o sal das minhas lágrimas aumente o brilho do meu olhar e uma inquietação ponha em desalinho o baú de onde emergem as minhas lembranças, para que eu possa, finalmente, render-me à folha de papel em branco...

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Quero um Amor sem Fraude






Vem ao meu encontro e recolhe os beijos e abraços, que ficaram retidos na memória do teu desejo. 
Vem desembrulhar segredos, antes que amanheça e se faça tarde...

Não quero mais a sombra do passado rondando os nossos dias. Toma a senha de acesso - do tempo presente - e, lê o avesso das palavras que eu escrevi. Quero um amor sem fraude!

Vem, antes que amanheça e se faça tarde... A noite nos espera! Vem, antes que eu te esqueça!

Um comentário:

Ana Paula Maielo Silva disse...

Lindo Julieta!!! Lindo, como sempre!!!